07/02/2011

A ESTRANHA QUE LEVA O PROPRIO FILHO AO PARQUE.

Criando filhos no exterior.
Diferentemente de tantas maes no Brasil, nos maes que vivemos fora, aprendemos com as proprias maos a educar os filhos. Uma ajuda familiar ou provisoria nos primeiros meses do bebe acontece, mas a realidade e que aqui fora quando se poe um filho no mundo a responsabilidade da criacao e exclusiva dos pais.
Ensinar regras de educacao como dizer por favor e obrigado e basico em qualquer familia.
E com o tempo, voce entende verdadeiramente o que significa e o quao importante sao estas duas palavras.
Levar o proprio filho a um parque na europa por exemplo  e ajuda-lo a se balancar ou subir no escorregador, coisa normal para quem tem um filho, pode se tornar estranho quando este parque fica no Brasil.
Um exercito de babas uniformizadas de branco fazendo o papel de educadora dessas criancas muitas vezes mimadas e mal educadas dominam parques e shoppings.
Nao existe nada mais surreal para mim ver criancas acompanhadas de suas maes e de suas babas a tira colo. Maes, que na maior parte do tempo, nao bastasse a presenca de uma baba, nao desgrudam do celular,estao sempre em movimento...
Nao existe interacao com os filhos.
A impressaao e de que as criancas representam um peso, uma limitacao a propria vida , a diversao...
Ok, um filho e um empenho, mas a vida e feita de empenho, responsabilidade e renuncia.
Aqui na europa as pessoas sao muito conscientes deste papel....um casal quando decide construir uma familia, precisa ter estrutura para isso.Um ser humano definitivamente  nao e uma planta.
A prepotencia e a falta de educacao dessas pessoas reflete na educacao, ou melhor, na tambem falta de educacao dessas criancas.
A justificativa e que essas babas existem porque os pais precisam trabalhar e sem elas a vida se torna impossivel....
Isso tudo e um absurdo total. Aqui fora, as maes tambem trabalham, os filhos vao a escola, ao centro esportivo e ninguem tem empregada domestica a disposicao.
Aqui se paga no minimo € 8 Euros por hora para se ter uma baba. A verdade e que isso eh cultural e um mal costume herdado por nos brasileiros, do tempo dos escravos.
Isso e mentalidade.
Conversar a mesa, fazer programas em familia, isso para muita gente e um pesadelo.
Jantando com um casal um certo dia, escuto a mae dizer: '' vamos comer primeiro como gente,depois nos chamamos as criancas''. Eu fiquei paralisada.
Comer a mesa com os filhos nao e facil!! E um exerciccio de paciencia,mas educar e isso.
Quando vou ao Brasil e vou muitas vezes, levo meus filhos ao parque e vejo somente babas....  me envergonho de ver esse tipo de situacao no Brasil.
As pessoas estao preocupadas em ganhar muito dinheiro e oferecer bens materiais ao filhos....
E tao surreal tudo isso que sou muitas vezes vista como a baba do meu proprio filho e discriminada por isso!!
As pessoas estao perdendo a nocao da normalidade.Por isso que se vende tanta revista de Gossip!!
Hoje uma atriz que leva o filho na praia ou no parque e coisa do outro mundo. E horrivel isso!! e ridiculo!!
E vista como uma estranha que acompanha o proprio filho ao parque!!!
Nao existe esse tipo de mentalidade aqui fora.
Pelo contrario!! Esse tipo de atitude e mal vista. E um claro sinal de pais de terceiro mundo,de desigualdade social.Ter um empregado domestico em casa, cozinhando, lavando e passando roupas, demostra quanta desigualdade social  ainda existe.
Deixar as criancas com os avos ou com as babas para tomar um chopinho na esquina com os amigos nao e um pecado.
Manter um compromisso e demonstracao de carater. Lazer sim, relaxar nao educa.